O sector automóvel será o impulsionador do 5G

O sector automóvel será o impulsionador do 5G

Espera-se que o setor automóvel seja um novo impulsionador muito importante para o 5G, com muitos casos de uso para comunicações móveis para veículos.


O Secretário de Transportes dos EUA disse que carros sem condutor serão usados em todo o mundo até 2025. O IEEE prevê que até 2040, 75% dos veículos sejam autónomos. Enquanto os veículos autónomos desenvolvidos hoje dependem principalmente em sensores e sistemas de bordo, o seu desempenho e a segurança poderiam ser amplamente melhorados através de comunicações 5G.

Criar uma infraestrutura de transporte segura é uma área importante onde carros autónomos e infraestruturas rodoviárias permitidas pelas redes 5G podem reduzir acidentes, salvando milhões de vidas cada ano.

Veículos autónomos podem reduzir acidentes e melhorar a utilização da estrada, já que os veículos podem ser conduzidos mais próximos uns dos outros e com mais segurança do que os condutores humanos podem alcançar. Empresas de transporte podem aproveitar as frotas de carros autónomos. Podem ser utilizadas de forma mais eficaz tendo menos acidentes causados por erro humano. O tempo de deslocação pode ser usado para outras atividades com a ajuda de veículos autónomos. Isto pode economizar uma hora por dia para as pessoas que vivem e viajam pelas cidades.

O sistema de comunicação precisa ser extremamente confiável, pois envolve segurança humana. O requisito de latência final precisa ser tão baixo quanto 5-10 ms.

Realidade virtual ainda mais real

Realidade virtual ainda mais real

 

Cientistas do laboratório Skoltech ADASE (Advanced Data Analytics em Ciência e Engenharia) descobriram uma maneira de melhorar a resolução do mapa de profundidade, o que deve tornar a realidade virtual e a computação gráfica mais realistas. Eles apresentaram seus resultados de pesquisa na prestigiada Conferência Internacional sobre Visão Computacional 2019 na Coréia.


Ao tirar uma foto, capturamos informações visuais sobre objetos ao nosso redor, com os diferentes pixels da imagem contendo as cores das respectivas partes do objeto. Mapas de profundidade são fotos que capturam informações espaciais e seus pixels contêm as distâncias da câmera até os respectivos pontos no espaço. Aplicativos como computação gráfica e realidade aumentada ou virtual usam informações espaciais para reconstruir a forma de um objeto 3D e, por exemplo, exibi-la na tela do computador.

Uma das questões das câmeras de profundidade é que sua resolução , ou seja, a frequência espacial das medições de distância, é insuficiente para restaurar a forma de alta qualidade do objeto, fazendo com que as reconstruções virtuais pareçam irreais.

Os pesquisadores enfrentam o desafio de encontrar uma maneira de obter mapas de profundidade de alta resolução a partir de mapas de profundidade de baixa resolução.

Cientistas do laboratório Skoltech ADASE propuseram avaliar a qualidade da reconstrução usando um novo método intimamente relacionado à percepção humana. O treinamento de uma rede neural artificial com essa técnica de avaliação da qualidade produz um método de super-resolução de mapas de profundidade que supera amplamente os métodos existentes na qualidade visual do resultado.

"Ao lidar com mapas de profundidade super resolvidos, deve-se avaliar a qualidade do resultado para comparar primeiro o desempenho de diferentes métodos e, em segundo lugar, usá-lo como feedback para melhorias adicionais. A maneira mais fácil é comparar o resultado com alguns A grande maioria dos trabalhos sobre super-resolução de mapas de profundidade usados ​​para esse fim significa a diferença entre os valores de super-resolução e de profundidade de referência.Este método não reflete a qualidade visual da reconstrução 3D obtida a partir da super-resolução. mapa de profundidade resolvido ", explica o primeiro autor do estudo, Oleg Voynov.

"Propomos um método completamente diferente, que aproveita a percepção humana da diferença entre as visualizações das reconstruções em 3D obtidas de mapas super-resolvidos e de profundidade de referência. Os gráficos que você obtém com esse método parecem altamente realistas. Esperamos que nosso método encontrará uso extensivo ", diz um dos desenvolvedores, Alexey Artemov.

Super smartphones com câmeras de 200 megapixéis

Super smartphones com câmeras de 200 megapixéis

O Snapdragon 865 será uma bomba! Pelo menos em termos de números.

A Qualcomm revelou que tem trabalhado com fabricantes de sensores fotográficos para desenvolver uma bela câmera de 200 megapixéis! Sim, leu bem! 200! A Qualcomm afirma que a razão principal para isto é permitir que os utilizadores tenham acesso a uma grande capacidade de zoom numa imagem, ao mesmo tempo que preservam o detalhe. Eles serão utilizados exclusivamente neste novo chipset da Qualcomm, o Snapdragon 865.

Mas como é que isto funciona? Bem, o desempenho da câmera ligada ao Snapdragon 865 é baseado naquilo a que a Qualcomm chama velocidade Gigapixel. Significa que o processador de imagem Spectra 480 tem a capacidade de ler e processador uma quantidade louca de pixels (2 gigapixéis) que chegam do sensor. Ou seja, temos o suporte para o sensor de 200 megapixéis.


Para conseguir este feito, a Qualcomm redesenhou três módulos Spectra. Primeiro é o módulo de captura a alta-velocidade e que lê logo quatro pixéis, ao invés de um só. É um grande aumento, mas curiosamente até permite um funcionamento a frequências mais baixas. Isto torna o sistema mais eficiente e quem agradece é a bateria.

Para além disto, a Qualcomm também anunciou outras funcionalidades que estão presentes no novo chipset. Por exemplo, graças ao sistema melhorado de processamento de imagem, pode tirar fotos de alta-resolução enquanto captura vídeo 4k. Atualmente, tirar fotografias enquanto filma, está limitado à resolução do vídeo. No entanto, o novo chipset vai levantar essa restrição.

 

Olhando para tudo isto é fácil concluirmos que a guerra dos pixéis vai voltar. Em 2018, combatiam frente a frente os sensores de 40 e 48 megapixéis. Este ano, foram 64 e 108. Em 2020, teremos os de 200 megapixéis! O que se segue?

Os melhores processadores de 2019

Os melhores processadores de 2019

 

O mundo dos processadores mudou bastante nos últimos anos, muito graças ao estrondoso crescimento da AMD, e aumento do número de tiros no pé da Intel.

Dito isto, estamos finalmente no mês de Dezembro, o que claro está… Significa o fim do ano, e o aparecimento das clássicas listas de melhores produtos de cada segmento.

Escusado será dizer que a AMD domina.

Esta escolha não é novidade para ninguém, mas por +200€ temos aqui uma atualização direta ao ‘velhinho’ Ryzen 5 2600. Que em boa verdade, também foi o rei da gama média em 2018. Ou seja, temos aqui uma espécie de sucessão completamente natural, que lhe irá oferecer performance brutal quer queira jogar ou ser produtivo! 6 núcleos e 12 threads por +200€?

Apesar do crescimento da AMD, a Intel ainda é a rainha do Gaming graças ao seu processador Core i9-9900K (ou KS) que traz frequências e IPC que a rival ainda não consegue bater. É claro que existem chips AMD Ryzen que chegam perto da performance, mas aqui temos de ser realistas… Se quer jogar, compre um 9900K.

Quando a AMD apresentou o seu 3950X, impressionou meio mundo tecnológico com os seus 16 núcleos e 32 threads. Sim… Leu bem… 16 núcleos e 32 threads! Um processador para o mercado tradicional de consumo que mete no bolso muita da oferta HEDT da Intel.

Este menino dizima qualquer coisa que lhe meta à frente, tão simples quanto isso.

 

O melhor processador de produtividade Preço/Desempenho - AMD Ryzen 7 2700X

É verdade que os Ryzen 3000 são melhores em tudo… Mas, a anterior geração baixou tanto de preço, que o antigo topo de gama 2700X não pode ser esquecido.

Afinal de contas, temos uma autêntica besta com 8 núcleos e 16 threads para tarefas pesadas por apenas ~230€. É claro que o mais recente 3700X é mais rápido, mais poupado e mais sexy… Mas apenas vai ganhar 15~20% de performance, ao mesmo tempo que paga mais 35%.

 

 

O melhor processador se tem um buraco na carteira - AMD Ryzen 5 2600


Como dissemos em cima, o Ryzen 5 2600 foi o rei da gama média em 2018. Por isso, como deve adivinhar, ainda é uma solução bastante interessante em 2019. Especialmente quando o seu preço anda à volta dos 100€ em vários mercados.

Se tem um orçamento limitado, mas quer jogar ou trabalhar com muita qualidade, tem aqui uma solução brutal! Ao fim ao cabo, pode ser instalado em qualquer motherboard AM4, seja ela gama baixa, gama média ou gama alta. Servindo para um PC Low Cost, ou como rampa de lançamento para voos mais altos quando o buraco da sua carteira estiver cozido.

Samsung vai fabricar Chips e Processadores para PC da Intel

Samsung vai fabricar Chips e Processadores para PC da Intel

A Intel fechou um contrato com a Samsung e vai receber auxílio da empresa sul-coreana na produção dos seus chips, de acordo com informações vindas da mídia do país. A dona dos processadores Core e Xeon está a enfrentar dificuldades para suprir as demandas do mercado desde o ano passado, mas agora deve contornar esta situação com a nova parceria.

De acordo com informações do site coreano Pulse News, a Intel procurou as duas principais empresas de fornecimento de chips do mercado, a Samsung e a TSMC, mas teria dispensado a companhia taiwanesa por causa da relação com a concorrente AMD. Actualmente, a dona dos processadores Ryzen utiliza o processo de fabricação de 7 nanômetros da gigante dos semicondutores nos seus produtos.

No caso da Intel, o contrato com a Samsung será focado nos chips para PCs, o que incluiria a produção de componentes de 14 nanômetros para desktops e notebooks. Segundo ressalta o Pulse News, a companhia tem investido muito no desenvolvimento de componentes em 10 nanômetros, o que tem atrapalhado o fornecimento de processadores voltados para computadores.


Recentemente, a vice-presidente executiva da Intel, Michelle Johnston Holthaus, chegou a lançar um pedido de desculpas em nome da empresa por causa da baixa produção de processadores. Na carta aberta publicada para os clientes no dia 20 de novembro, a executiva disse que o crescimento da indústria de PCs "superou as expectativas e esforços da companhia".

Além disso, Holthaus ressalta que a firma utilizou as soluções de fabricantes terceirizadas no segundo semestre do ano para dobrar a produção de componentes em relação ao começo do ano. Com o suposto novo contrato com a Samsung, quem sabe se a companhia consiga melhorar ainda mais este cenário e ganhar espaço contra a AMD, que está em uma onda de crescimento.

Image
Rua Luis Monteiro, 46 C/V Dta
1900-310 - Lisboa

+351 913474687

info@microrede.pt